Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/10160
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_ExcessoAusenciaDecepcao.pdf459,05 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Excesso, ausência e decepção das significações : uma reflexão ético-semântica a partir de um fato traumático da história argentina
Outros títulos: Excess, absence and disappointment of significations : An ethical and semantic reflection on a traumatic event in Argentine history
Autor(es): Cabrera, Julio
Assunto: Semântica (Filosofia)
Significação (Filosofia)
Ética
Pragmática
Data de publicação: Jan-2011
Referência: CABRERA, Julio. Excesso, ausência e decepção das significações: uma reflexão ético-semântica a partir de um fato traumático da história argentina. Filosofia Unisinos, v. 12, n. 1, p. 2-19, jan./apr. 2011. Disponível em: <http://www.unisinos.br/revistas/index.php/filosofia/article/view/1000/225>. Acesso em: 06 mar. 2012. doi: 10.4013/fsu.2011.121.01.
Resumo: A partir do fenômeno político do peronismo argentino tal como analisado por Verón e Sigal (2008), tecem-se algumas considerações críticas de filosofia da linguagem e ética acerca do mesmo. O artigo sustenta que a cada um dos três períodos em que se pode dividir o fenômeno peronista correspondem três tipos diferentes de enunciação: ao período da ascensão ao poder, o excesso das signifi cações; ao período de exílio, a ausência de significações; e ao período da queda, a decepção das significações. Defende-se o caráter metapragmático destes três tipos de discursos à luz da teoria da conversação de Paul Grice, na medida em que eles ultrapassam os referenciais racionalistas e moralistas desta teoria, colocando em jogo aspectos afetivos e retóricos que não encaixam no modelo do “desvio de máximas”, mostrando que a análise discursiva de Verón/Sigal se perfi la como mais apropriada que a pragmática para analisar fenômenos ético-linguísticos complexos tais como o peronismo argentino. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT
The article advances, from the point of view of the philosophy of language and ethics, a critical refl ection on the political phenomenon of Argentine Peronism. It claims that each of the historical periods in this movement is marked by a different kind of discourse and enunciation: in the period of the rise to power, the excess of significations; in the period of exile, the absence of significations; and in the period of decay, a disappointment of significations. The author proposes, in the light of Paul Grice’s theory of conversation, that these linguistic types of discourse have a meta-pragmatic character, since they go beyond the rationalist and moralist framework of this theory and involve affective and rhetoric elements that do not fi t the standard of “deviation from maxims”. The article contends that Veron’s and Sigal’s analysis of discourse is more appropriate than the pragmatic approach to understand complex ethical and linguistic phenomena such as Peronism.
Licença: This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License (Attribution 3.0 Unported (CC BY 3.0)). Fonte: http://www.unisinos.br/revistas/index.php/filosofia/article/view/1000/225. Acesso em: 06 mar. 2012.
DOI: 10.4013/fsu.2011.121.01
Aparece nas coleções:FIL - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons